No campus da FAAP, o engenheiro civil encontrou vários amigos que se tornaram parceiros de trabalho – agora, seus filhos trilham o mesmo caminho

O paulistano Yorki Oswaldo Estefan tinha acabado de completar 17 anos quando decidiu se matricular no curso de Engenharia Civil da FAAP. “Sempre encarei a chance de construir como um ato relevante. Gosto da ideia de deixar marcado na cidade algum legado profissional”, diz. Hoje, aos 51 anos, ele é diretor de Engenharia e sócio na Conx, construtora e incorporadora, e coordenador do Comitê de Tecnologia e Qualidade do Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo.

Cinco vezes ganhador do Prêmio Master Imobiliário, um dos maiores e mais importantes do segmento no país, o engenheiro faz questão de manter contato com a nova geração de engenheiros. “Sempre que sou convidado, participo das Semanas de Engenharia da FAAP. É muito gratificante dividir conhecimento e poder encontrar novos rostos”, diz. E rostos conhecidos também, já que seus três filhos são alunos da Fundação: Rodrigo e Guilherme seguiram os passos do pai na Engenharia e Luiza optou por Arquitetura. “Espero que eles construam suas redes de convívio e de profissão na FAAP, assim como fiz.”

O vínculo formado com outros estudantes é o aspecto mais marcante que Yorki carrega dos tempos de FAAP. “Existia um acolhimento indistinto a todos. Isso formou um grupo que construiu laços para além da faculdade”, diz. Foi no campus, inclusive, que ele se aproximou de Ricardo Luna, seu sócio na Conx, e fez outros amigos que se tornaram parceiros profissionais.

RICARDO LUNA
FORMADO EM ADMINISTRAÇÃO, ELE É SÓCIO DE YORKI E DIRETOR COMERCIAL DA CONX

“Em 1985, conheci Yorki num estágio e isso nos aproximou ainda mais na FAAP. Cinco anos depois, Yorki me ligou dizendo que havia montado uma construtora e perguntou se eu queria montar uma incorporadora para desenvolver projetos com ele. Em menos de seis meses, já tínhamos nos tornado sócios. Já são mais de 25 anos de parceria. Temos uma relação diária muito próxima, tanto comercial como pessoal. Respeitamos muito o trabalho e o espaço do outro.”

JOSÉ ZARIF NETO
ENGENHEIRO CIVIL FORMADO NA FAAP, OS DOIS TRABALHARAM JUNTOS MUITAS VEZES

“Nos conhecemos há 30 anos, desde aqueles tempos de faculdade, quando nossas vidas profissionais ainda estavam por ser escritas. Prestei serviços de engenharia para suas empresas e encontrei nelas aspectos próprios do Yorki: jovialidade e busca por inovação técnica.”

CLAUDIA DUDZEVICH
COLEGA DE CLASSE, ELA PARTICIPOU DE UMA DAS OBRAS MAIS IMPORTANTES DE YORKI

“Nunca perdi o contato com ele, mesmo depois de formada. Em 2004, depois de gerenciar a minha própria empresa de projetos elétricos, tinha vontade de voltar a trabalhar com construção. Entrei em contato com ele, que me recebeu prontamente. Eu, que estava à procura apenas de uma orientação de mercado, acabei saindo daquela reunião como uma das engenheiras da maior obra de sua empresa na época, o E-Tower (arranha-céu de 39 andares na Vila Olímpia). Ele me deu um voto de confiança que nunca vou esquecer.”

CELSO CORRÊA
À FRENTE DA ZF ENGENHEIROS E ASSOCIADOS, ELE SE TORNOU PARCEIRO DE YORKI NO TRABALHO

“Iniciamos o curso de Engenharia juntos, em 1983. Ele já demonstrava um impressionante espírito de liderança, que era muito natural. Minha empresa presta serviços de projetos para a dele. É uma relação profissional, claro, mas é sempre melhor trabalhar quando o cliente, além de cliente, é amigo.”

FLÁVIO ALGRANTI
FORMADO EM ENGENHARIA CIVIL, O ENGENHEIRO DA IMOVELINVEST REALIZOU PARCERIAS DE TRABALHO COM YORKI

“Na época da FAAP, Yorki se destacava pela sua alegria. Nos reencontramos no mercado anos depois de formados, quando ele já era empresário, sócio da Tecnun – que depois veio a ser a Conx. Acabei apresentando a ele alguns terrenos e realizamos várias parcerias juntos.”