A FAAP recebeu em 1995 o estilista Oscar de la Renta, que refletiu sobre o verdadeiro papel de suas criações

O ano era 1995. O auditório da FAAP estava lotado de alunos, professores, membros da diretoria e convidados. Todos ansiosos para conhecer um dos 
maiores ícones da moda e da alta-costura mundial: 
Oscar de la Renta. A convite de Celita Procópio de Carvalho, Presidente do Conselho de Curadores da FAAP, o estilista veio para dar uma palestra sobre o seu universo. Ele fez mais do que isso – encantou centenas de pessoas e inspirou jovens a se tornarem profissionais da área.

O dominicano Oscar de la Renta, naturalizado americano, conquistou o público com seus vestidos glamorosos, cheios de brilhos e detalhes. Vestiu celebridades como Sarah Jessica Parker e personalidades como Jacqueline Onassis e Hillary Clinton. Mesmo após sua morte, em 2014, suas roupas continuam a fazer sucesso entre as pessoas mais elegantes do mundo.

Na época de sua visita, a FAAP ainda não oferecia o curso superior de Moda. Já existiam aulas livres, como modelagem, corte e costura, mas a faculdade, em si, era apenas uma ideia. Segundo o professor Silvio Passarelli, hoje diretor do curso de Administração, “convidar grandes nomes para ministrar palestras e fazerem exposições era uma forma eficaz de pavimentar o terreno para um futuro curso de Moda”.

Passarelli, na época diretor do curso de Artes Plásticas da FAAP, foi quem apresentou a palestra e esteve com o estilista nos bastidores. “Ele era chique, elegante, com uma presença magnética e muito agradável.” Em vez de trazer uma ficha corrida com sua história e sobre suas técnicas, Oscar de la Renta falou por mais de duas horas sobre a magia de seu trabalho, sobre como é ter uma inspiração e transformá-la em um objeto palpável, que se pode vestir e usar para afirmar sua personalidade.

“Sua palestra foi uma verdadeira reflexão sobre a moda ser material e etérea ao mesmo tempo”, conta o diretor, já que durante a palestra o estilista deixou claro que moda não é apenas sinônimo de roupa – ela tem importância, está relacionada diretamente ao comportamento humano e é isso que um profissional da área deve levar em conta para fazer suas criações. É por experiências como esta que até hoje Celita acredita que “trazer ícones do design de Moda para o Brasil é criar condições objetivas de construir um ensino de Moda nos melhores padrões internacionais”.

Ele era chique, elegante, com uma presença magnética e muito agradável. Sua palestra foi uma verdadeira reflexão sobre a moda ser material e etérea ao mesmo tempo

Silvio Passarelli, diretor do curso de Administração