Filmes, séries e games que ajudam a entender o mundo de hoje, segundo Maria Homem e seus alunos da FAAP

OS CLÁSSICOS_ Intolerância (1916), de D.W. Griffith, e Tempos modernos (1936), de Charles Chaplin: “Esse dois filmes mostram a formação tanto do cinema (e suas narrativas) quanto do modo de produzir coisas e pessoas que marcariam o século 20”.

A CONTRACULTURA OU A CRÍTICA DA CULTURA_ Pierrot Le Fou (1965), de Jean-Luc Godard, e Taxi Driver (1976), de Martin Scorsese: “Tanto na Europa quanto nos Estados Unidos o cinema aponta a crise das relações, dos sistemas e das subjetividades. Algo de sólido desmancha no ar”.

BRASIL NO FRONT_ Deus e o Diabo na Terra do Sol (1964), de Glauber Rocha, e O bandido da Luz Vermelha (1968), de Rogério Sganzerla: “A terra, a cidade e os conflitos que nos fundam como nação”.

SÉCULO 21_ Black Mirror (2011): “O humano se perguntando sobre si a partir da técnica que ele mesmo cria”. House of Cards (2013): “A desmistificação radical do campo da política e a crise ética contemporânea”. Psi (2014): “As várias camadas da psique para além das ilusões da consciência”.

GAMES_ League of Legends (2009): “Quando a adição e a ‘comunidade tóxica’ revelam o interior do próprio conceito de ‘jogo’”. GTA (1997): “O prazer de destruição e o deslocamento dos esteios de Bem e Mal são marcas do contemporâneo?”. Watch Dogs (2014): “Aqui a linha esgarçada da moral faz interface com uma posição absolutamente egoica. Acabou o mundo tal como o conhecemos até aqui?”. Minecraft (2011): “O que estamos construindo?”.