Regina Amorim, que termina a pós em gerente de cidade este ano, elege três programas de urbanismo sustentável

Dois anos atrás, Regina de Amorim decidiu, aos 52 anos, se matricular em uma pós-graduação. Como trabalha há muito tempo na prefeitura de Jundiaí, e sempre gostou do assunto, optou pelo curso de Gerente de Cidade da FAAP. “Não tinha ideia do quanto uma pós me acrescentaria a essa altura da carreia. Foi muito enriquecedor descobrir novas visões”, conta. A partir das aulas sobre desenvolvimento sustentável local, ela se desafiou a pensar a sua própria cidade de outra maneira. “Tive a chance de toda a diferença.” A seguir, iniciativas que servem de inspiração para Regina – e para qualquer cidade.

Malmö, Suécia

“Pioneira em utilizar energia renovável, ela recicla 70% do lixo coletado e os resíduos orgânicos são reaproveitados para a fabricação de biocombustíveis. Essa é uma ação que poderia ser viável em muitas cidades. E não precisa ser um megaprojeto. Se cada um separar o que consome, já ajuda bastante.”

Malmö, Suécia

Curitiba, Brasil

“A cidade entendeu a importância de proteger a vegetação local e criou um bom programa de conservação da biodiversidade. Com uma área verde de 51 metros quadrados por habitante, Curitiba tem mais de 1,5 milhão de árvores em vias públicas e locais e 30 bosques e parques.”

Curitiba, Brasil

Bogotá, Colômbia

“A cidade decidiu investir em transporte público. Implementou projetos que permitem que a população se desloque por todas as regiões de Bogotá a um custo baixo e mais rapidamente. Medidas como essa melhoram profundamente a qualidade de vida das pessoas.”

Bogotá, Colômbia