Projeto captura a essência de moradores de rua

O projeto SP Invisível surgiu há três anos, da vontade que dois jovens tinham de contar o que não era contado. Através de retratos e depoimentos em primeira pessoa, André Soler, 23 anos, aluno de Cinema na FAAP, e o amigo Vinicius Lima, 21, passaram a registrar pessoas em situação de rua e a contar suas histórias. “Queríamos fazer algo que pudesse mudar a vida delas”, conta André.

O projeto ganhou a internet e hoje tem mais de 300 mil pessoas no Facebook. Ele também virou o livro A cidade que ninguém vê. “O que define a gente não é nossa aparência, e sim nossas vontades, nossos gostos. A ideia é criar um espírito de comunidade, para fazer uma sociedade melhor”, diz.

Este ano, o projeto foi homenageado no prêmio Santo Dias de Direitos Humanos. Para André, esse “é o reconhecimento de que fizemos algo muito grande”.

Saiba mais no spinvisivel.org.