Três ex-alunos investiram no projeto de TCC, apostaram na publicidade com propósito e montaram sua própria agência

Há pouco mais de oito anos, os amigos Suzana Vilhena, 32, Guilherme Stella, 33, e Lucas Pacífico, 31, apresentavam o projeto de uma miniagência como parte do seu trabalho de conclusão do curso de Publicidade e Propaganda. Em mais de 50 páginas de estudo, eles defendiam a criação de uma empresa com uma proposta diferente, focada em ações de interesse das pessoas, e não campanhas estritamente comerciais. “Não queríamos fazer a publicidade pela publicidade. A gente sempre acreditou que é possível mostrar o benefício do produto aliado ao benefício para a sociedade”, explica Guilherme. Apaixonados pela ideia e animados com a recepção do projeto pelos professores, os três decidiram investir no seu próprio negócio. “Foi muito arriscado. A gente abriu a empresa sem pilares importantes, como nome no mercado, lista de clientes e caixa”, lembra o ex-aluno. Saíram de seus empregos e, durante meses, cada um aplicou na agência o valor da mensalidade que pagavam na faculdade. “Os três sempre mostraram um espírito empreendedor muito grande e foram corajosos ao resolverem aprender juntos como seria essa experiência”, diz Maria del Mar Reyes, vice-coordenadora do curso de Publicidade e Propaganda. Hoje, a Sagarana Comunicação atende clientes como Brastemp, LG, Vivo e Sabesp e se especializou em tratar de questões universais em suas campanhas, como economia de água, trabalho escravo e igualdade de gêneros. Para Suzana, os professores tiveram um papel fundamental na história profissional do trio. “Eles nos ajudaram em muitas decisões que tivemos de tomar na agência, indicaram clientes e até hoje fazem o papel de nossos mentores”, diz. Lucas completa: “As aulas e a estrutura que tivemos na FAAP fizeram toda a diferença”. Maria del Mar lembra que os três sempre encaravam a faculdade como uma etapa importante para a formação profissional, com seriedade e comprometimento. “O professor dá o mapa para o aluno, mas é ele quem decide aonde consegue chegar. Guilherme, Lucas e Suzana decidiram dar a volta ao mundo”, finaliza a professora.

O projeto da miniagência, em 2008; a primeira campanha: um mídia-card que alertava sobre o trabalho escravo no país e sujava as mãos das pessoas de carvão; e a mais recente, de novembro de 2015, realizada para LG, em parceria com a Sabep, sobre economia de água e consumo consciente