O trabalho final de Ivan Padovani na Pós em Fotografia foi selecionado em dois prêmios e ainda virou livro

Em 2010, o fotógrafo Ivan Padovani tinha o hábito de andar pela capital paulista e registrar fachadas de edifícios que tivessem poucas intervenções arquitetônicas. De maneira despretensiosa, ele dava início a uma série fotográfica que, quatro anos mais tarde, acabaria se tornando o seu projeto de conclusão de curso na pós-graduação em Fotografia na FAAP.

Depois de mostrar suas imagens para professores do curso – e ser incentivado por eles a continuar seu projeto –, Ivan decidiu retomar o hábito de olhar para cima e registrar o visual das fachadas cegas dos prédios. “Acabei em um caminhar mais lento e um olhar atento em busca de respiro visual e uma ordem impossível em meio à caótica metrópole”, conta Ivan.

No total, foram mais de 300 imóveis capturados por ele, todos em dias nublados, para fugir das sombras e da incidência de luz solar. “Depois de meses percorrendo ruas, Ivan constrói uma estratégia de levar para o público o desafio de olhar um objeto que quase não oferece nenhum estímulo ao olhar: suas fachadas têm formas mínimas, pouco contrastadas, isoladas de seu entorno e são mostradas com a frieza de um inventário científico”, diz Ronaldo Entler, um dos professores de Ivan no curso.

A série, que leva o nome de Campo cego, foi selecionada no Prêmio Diário Contemporâneo de Fotografia – e passou a fazer parte do acervo do jornal – e no Programa Descubrimientos do Festival PhotoEspaña. Foi ainda apresentada no Museu da Casa das Onze Janelas, em Belém, no Pará, e em exposição individual na Galeria da Gávea, no Rio de Janeiro. O projeto também virou um fotolivro, publicado de forma independente em uma edição de cem exemplares numerados e assinados, e viajou para a Grécia e o Uruguai. “Campo cego evidencia ampla conexão com a produção atual em artes e o envolvimento do artista no processo de pesquisa”, diz Lívia Aquino, coordenadora e professora do curso de pós em Fotografia, sobre a dimensão artística do trabalho de Ivan.