Rubens Fernandes Junior, diretor do curso de comunicação e marketing e expert em fotografia no Brasil, seleciona imagens marcantes que permeiam a história da Fundação e de seus cursos ao longo de seus 70 anos

Quando Armando Alvares Penteado deixou parte de seu patrimônio em um testamento de 1938, escrito à mão em cinco folhas de papel almaço, detalhando seu sonho de criar um museu e uma escola de Belas-Artes, ele não imaginou que seu projeto para o edifício-sede na rua Alagoas se transformaria numa das maiores instituições de ensino do país. Hoje, a Fundação Armando Alvares Penteado engloba os cursos de Comunicação e Marketing, Direito, Economia, Artes Plásticas, Administração e Engenharia, e o Colégio FAAP, além de contar com unidades em Ribeirão Preto e São José dos Campos. Quando ele faleceu, em janeiro de 1947, coube a sua esposa, Annie, levar adiante seu desejo, e, até que as obras do edifício- sede fossem concluídas, foram quase duas décadas, de 1947 a 1965. Mas, à medida que o projeto, grandioso à sua época, saía do papel, as ambições em relação a ele iam se ampliando cada vez mais. Foi quando o casal Lucia e Roberto Pinto de Souza assumiu o comando da FAAP, em 1965, por exemplo, que a Escola de Belas Artes se transformou no curso de Artes Plásticas. Desde então, a instituição, que agora completa 70 anos, não parou de crescer. Nas galeria abaixo, Rubens Fernandes Junior, diretor do curso de Comunicação e Marketing, pesquisador e expert em fotografia, seleciona imagens marcantes da existência da Fundação ao longo de seus 70 anos.