Em atuação já desde o ano passado, o programa “Valente não é Violento”, que atua no combate dos estereótipos de gênero e comportamentos sexistas, conta com o envolvimento de todas as agências da ONU e é coordenado pela ONU Mulheres.

O programa estrutura-se a partir de dois eixos: Marcos Legais e Políticos (em que foi detectada a necessidade de introdução da questão de gênero no universo educacional) e Análise de Casos. Partindo da constatação de que os agentes de violência no ensino fundamental são majoritariamente do sexo masculino, buscou-se desenvolver estratégias de ação que promovessem um ambiente de não violência –física, simbólica ou moral.

Um dos casos analisados, a título de exemplo, foi o projeto desenvolvido pela Rede Nami, que utiliza o grafite como meio para promover os direitos das mulheres. No ano de 2014 a Rede Nami, em parceria com o Instituto Avon, desenvolveu nas escolas do município do Rio de Janeiro (com apoio da Secretaria de Estado e Educação do Rio de Janeiro) o projeto de “Grafite pelo Fim da Violência Contra a Mulher”.

Cerca de 1000 jovens do ensino médio de 34 unidades escolares públicas participaram das oficinas de desenvolvimento de grafite, em que garotos e garotas tiveram a oportunidade de expressar vivências marcadas pela violência de gênero, além de adquirirem conhecimento sobre as possibilidades existentes para o enfrentamento da questão (Lei Maria da Penha, Atendimento à Mulher, Disque 180, etc).

Para saber mais, clique aqui.