As metodologias ativas de aprendizagem e ensino são estratégias propostas para enriquecer o processo de construção de conhecimento e do saber. Há alguns anos elas vêm ganhando espaço no âmbito educacional, pois são desenhadas para motivar os estudantes e tornar o processo de ensino e aprendizagem mais significativo.

Instituições de excelência em preparação e desenvolvimento de educadores, como a Harvard University, discutem, difundem e aplicam aquilo que as pesquisas conseguem comprovar: os alunos apresentam melhores resultados quanto à capacidade de compreender e fazer uso do raciocínio crítico e analítico. Dessa maneira, a memorização torna-se coadjuvante para dar protagonismo ao desenvolvimento de estruturas cognitivas que facilitam o acesso à conhecimentos relevantes para o enfrentamento de situações e soluções de problemas reais.

São muitas as ferramentas de aprendizagem ativas, a maioria das quais podem ser incluídas em cursos existentes sem necessidade de mudanças onerosas. Um exercício simples e elegante, chamado think-pair-share, pode ser facilmente aplicado em situações de aula ou palestra. Os alunos recebem um minuto para pensar – e talvez responder por escrito – a uma pergunta por conta própria. Em seguida, os estudantes procuram ideias e as trocam com um parceiro. Finalmente, alguns alunos compartilham com toda a classe.

Esse exercício é apenas um dentre as várias opções de métodos que envolvem e incentivam uma maior participação dos alunos e, por consequência, contribuem para formação de juízo de valor e aumento da autoconfiança.