A série Big Little Lies, criada e escrita por David E. Kelley e lançada em fevereiro de 2017 pelo canal HBO, conta a história de três mulheres que vivem em uma comunidade pequena na cidade de Monterey na Califórnia. Estrelada por Nicole Kidman, Reese Witherspoon e Shailene Woodley, a história gira em torno de um assassinato que ainda não aconteceu, mas o telespectador já sabe que acontecerá. Embora a trama envolva um crime, percebemos que o tema central na realidade não é este. Há uma discussão acerca da condição das pessoas, que demonstram características das suas vidas privadas que, na realidade, não refletem o que vivem em casa.

Ao acompanhar a vida destas mulheres, também observamos a história dos filhos pequenos que estudam todos na mesma turma do colégio. Logo no primeiro episódio, quando uma aluna sofre agressão de outro aluno, identificamos a tensão entre as mães para se descobrir o verdadeiro culpado e qual seria a melhor punição, já que são crianças. O menino Ziggy Chapman, filho de Jane Chapman (Shailene Woodley) é indicado como o agressor e, por ele ser novo na turma, sua mãe sofre consequências em relação a qual é a educação que ela dá ao filho.

Além disso, vemos a personagem de Reese Witherspoon precisar lidar com a filha mais velha, que está na adolescência e sem vontade de seguir estudando em uma universidade. Fora isso, a mãe também precisa resolver os problemas de seu trabalho como voluntária de uma peça de teatro, que está sendo ameaçada de cancelamento por tratar de temas polêmicos que não são considerados como apropriados para crianças.

Com a última personagem principal – e talvez a mais importante – vem à tona, por meio da história de Celeste Wright (Nicole Kidman), a narrativa de um ambiente familiar muito problemático. Ao longo dos episódios, percebemos a forma como a série aborda o reflexo que a educação dos pais possui sobre os filhos e o impacto disso em outros ambientes, como, por exemplo, a própria sala de aula.

Com discussões sobre a liberdade de expressão, o valor da honestidade, a educação infantil e a dificuldade em expor os nossos problemas para as pessoas que de fato poderiam nos ajudar, Big Little Lies nos mostra, de forma realista, que a vida exposta não deve ser levada como uma representação real sobre a vida privada.