Inspetora de alunos do curso de direito, Mazé ajuda a turma com conselhos e nós de gravata e até acompanha as aulas para ficar por dentro

Este ano, Maria José de Barros completa 13 anos de FAAP – dez deles como inspetora de alunos no curso de Direito. No intervalo das aulas, um aglomerado de alunos se forma no início do corredor do segundo andar, onde fica o disputadíssimo balcão da Mazé, apelido da inspetora. Os estudantes se revezam entre conversas, conselhos e invariáveis pedidos de ajuda para ajeitar o nó da gravata. “Acompanho todos os momentos deles na faculdade, do primeiro ao décimo semestre. Nos tornamos uma família”, diz.

Responsável por manter o corredor e as salas de aula organizados, ela gosta de ficar por dentro dos assuntos que os alunos estudam. Por isso, não perde nenhuma palestra da Semana Jurídica e, sempre que pode, dá uma espiada em uma aula. “É importante conhecer a área em que você trabalha. Adoro quando os alunos vêm decorar a matéria comigo. Aprendo muito”, diz.

Ela acaba de passar pelo momento mais tenso do ano: as apresentações das monografias, ao final do décimo semestre. “Os estudantes ficam nervosos e eu tento tranquilizá-los e apoiá-los”, lembra. Não é à toa que, desde o seu primeiro ano no curso de Direito, Mazé é escolhida pelos alunos para ser homenageada na colação de grau. “Choro todas as vezes de saudade antecipada.” A inspetora acredita que lida tão bem com jovens por causa da experiência com o filho de 26 anos. Vê-lo formado em Relações Públicas na FAAP, aliás, foi um sonho realizado. “Poder proporcionar isso ao meu filho foi uma vitória”, diz. Mazé confessa que gostaria que ele tivesse escolhido Direito. “Mas tudo bem. Meus outros 600 ‘filhos’ do coração escolheram”, brinca.