A estilista Fernanda Yamamoto abre o ateliê e mostra o cantinho onde cria suas peças

O espaço criativo de Fernanda Yamamoto, 35 anos, é recheado de canetas, looks e pessoas – e ainda tem a presença do border collie Neno, mascote da equipe. É assim que a estilista prefere trabalhar. “Gosto de uma mesa bagunçada, com tudo ao meu alcance. E o clima de todo mundo trabalhando junto ajuda a me inspirar”, conta. Nos últimos tempos, Fernanda mal consegue sair do ateliê, que funciona no andar de cima da sua loja, no bairro da Vila Madalena, em São Paulo. A correria se justifica: ela se prepara para lançar a coleção de inverno da marca, que tem mais de cem modelos. Em 2010, a paulistana fez sua estreia na São Paulo Fashion Week. De lá para cá, desfilou mais sete vezes no evento e expôs suas criações em Madri e no Japão. Ganhadora das duas primeiras edições do FAAP Moda, em 2004 e 2005, ela não esquece como tudo começou. “Foi a primeira chance de me mostrar para o mercado.”

Mesa de trabalho

01_Colorido
“A escala de cores Pantone me ajuda a pensar a paleta das coleções. Esta última tem uma série de vermelhos muito forte.”

02_Enfeite
“Além de decorar a mesa, este busto serve para guardar os alfinetes e não deixar que eles se percam pelo ateliê.”

03_Canetinhas
“Uso muito o computador, mas, para desenhar o modelo, prefiro fazer à mão. Gosto das canetas da Prisma Color.”

04_Lista
“Quando escolho o tecido, começa um quebra-cabeça: qual desenho cai bem com ele? É a parte que mais gosto.”

05_Catálogo
“Sempre faço uma ficha técnica de cada tecido: material, textura, origem. Isso me ajuda a estimar a quantidade que vou precisar para fazer cada peça.”

06_Estampa
“Uso o computador para desenhar as estampas da coleção e definir a proporção do desenho em cada peça.”