Alan veio da França. Luis Felipe foi para China

Luis Felipe Blat
Idade: 22 anos
País e cidade de destino: Pequim, China
Início do intercâmbio: agosto de 2018
Final do intercâmbio: janeiro de 2019
Curso que fez na universidade de destino: Mandarim e Business
Curso na FAAP: Administração

Por que você escolheu esse destino? Escolhi fazer o intercâmbio na China, porque já tinha estudado mandarim por dois anos e meio, no Instituto Confúcio para Negócios FAAP. Tinha o sonho de aprender mais sobre o idioma e a cultura local. E o aprendizado foi fundamental, porque poucas pessoas falam inglês em Pequim, diferentemente de Xangai, que é mais internacional.

O que mais chamou a sua atenção na cultura local? O modo como as empresas realizam o processo de negociação e como se portar em uma reunião. Você precisa saber aspectos da cultural local para chegar aonde quer. Primeiro, os chineses fazem uma reunião formal, para conhecer você profissionalmente. Depois, marcam um jantar, onde fazem brindes tradicionais e conhecem você pessoalmente. É por não saber cumprir esses processos que brasileiros e outros estrangeiros pecam na hora de negociar com os chineses.

O que você aprendeu que vai ajudá-lo profissionalmente? Meu TCC da FAAP é relacionado à China e vou conseguir incorporar todas as informações que aprendi no curso de Business. Sem contar a experiência extraordinária de conhecer o modo de agir oriental, seus costumes e tradições.

Alan em uma das suas viagens ao Rio de Janeiro

Alan Vergan
Idade: 22 anos
País e cidade de origem: Paris, França
Início do intercâmbio: agosto de 2018
Final do intercâmbio: dezembro de 2018
Curso que fez no intercâmbio: Português para estrangeiros
Curso na FAAP: pós-graduação em Estratégia de Marketing

Por que você escolheu esse destino? Adoro viajar e aprender outros idiomas – além do francês, falo inglês e alemão. Queria morar em algum lugar diferente, como América Latina ou Ásia. Decidi pelo Brasil porque é um país culturalmente muito rico e também porque a minha área de interesse, o marketing, está crescendo cada vez mais aqui e sendo premiada pelo mundo.

O que mais chamou a sua atenção na cultura local? Eu não sabia o quanto os brasileiros podiam ser gentis. Não estou acostumado com isso, porque os franceses são mais fechados. Foi fácil me adaptar por causa dessa receptividade, inclusive no mundo acadêmico. Os professores fazem de tudo para a gente se sentir bem e são preocupados. Isso é muito legal.

O que você aprendeu que vai ajudá-lo profissionalmente? Aprender português é fundamental para que eu possa trabalhar aqui no país e saiba me expressar. E a pós vai ser importante para entender mais sobre o mercado – não só o brasileiro, mas do mundo, porque o curso fala sobre todas as tendências internacionais. O coordenador do curso falou comigo e me contou que já trabalhou na França. Vamos poder trocar várias experiências.

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO
A FAAP tem convênio com mais de 380 instituições de ensino pelo mundo. São 50 destinos, entre eles: Alemanha, França, EUA, China e Japão. A cada ano, a Fundação envia e recebe alunos interessados em ter experiência de aprendizado internacional.
Saiba mais: faap.br/internacionalizacao