Com o potencial que possui, o Brasil não deveria ficar cambaleando de posições em seu tamanho econômico e de peso geoestratégico

Há anos discuto em sala de aula sobre os desafios enfrentados pelo Brasil em sua busca por maior relevância internacional. Uma das conclusões é que somos um dos melhores países no mundo, só que enfrentamos um grande e histórico problema de mau gerenciamento – problema fundamental na diferenciação entre um país desenvolvido e um subdesenvolvido. A Suíça, por exemplo, tem poucos recursos, mas sabe utilizá-los de uma maneira mais eficiente do que o Congo, que é um dos países mais ricos em matéria de recursos minerais. No caso brasileiro, a má gestão dos recursos, resultante de um baixo nível educacional, transparência e responsabilidade dos agentes públicos, resulta na perpetuação de desafios que a sociedade não consegue sobrepujar. Com o potencial que possui, o Brasil não deveria ficar cambaleando de posições em seu tamanho econômico e de peso geoestratégico. Ele precisa aprender a usar bem as vantagens que tem. Aí, sim, virá o tão almejado desenvolvimento.

Marcus Vinícius de Freitas é professor no curso de R.I.