Professora do curso de Arquitetura e Urbanismo reflete sobre o reconhecimento do trabalho feminino em determinados campos

A Semana de Arquitetura e Urbanismo deste ano teve como temática a contribuição feminina para o debate e a produção do espaço. Como recorte, foram selecionadas as produções da jornalista Jane Jacobs e das arquitetas Lina Bo Bardi e Zaha Hadid. Mais do que homenagear os centenários de nascimento de Lina e Jacobs e o falecimento de Zaha, a Semana destacou os legados intelectuais e projetuais dessas profissionais: Zaha e sua ousadia formal e construtiva; Lina e seu olhar sensível às preexistências; Jacobs e seu debate cada vez mais atual sobre os usos da cidade e a importância da diversidade e dos espaços públicos.

Tendo como pano de fundo a contribuição dessas grandes mulheres, a presença feminina no campo da Arquitetura e Urbanismo merece reflexão. De acordo com o CAU/BR, dos 128 mil profissionais registrados, 61% são mulheres.

Apesar de serem maioria, têm as mulheres seu devido reconhecimento profissional em um campo em que as produções de autoria masculina ainda são as que recebem maior destaque?

CLAUDIA ANDREOLI MUNIZ é professora do curso de Arquitetura e Urbanismo