As redes sociais, tidas como vitrines do cotidiano, impulsionam o distanciamento da pessoa com a realidade

Com o advento da tecnologia, a distância entre dois ou mais pontos ficou extremamente relativizada, criando uma relação pendular entre a positividade de aproximar pessoas que estavam em lados opostos do globo e a negatividade de um distanciamento de pessoas que estão na mesma mesa. A vida remodelada por meio das telas de celular criou uma nova dinâmica entre as pessoas, modificando o comportamento nas redes e na vida real. As redes sociais, tidas como vitrines do cotidiano, impulsionam o distanciamento da pessoa com a realidade. O maior exemplo disso é a busca incessante pela demonstração de felicidade para as suas conexões, substituindo experiências práticas em detrimento da captura do momento pelas lentes do celular, principalmente em shows e restaurantes. Nos dias de hoje, em que a tecnologia facilitou tanto a vida das pessoas, o paradigma enfrentado é o quanto esse processo acabou nos distanciando da vida real.

Victor Grinberg é professor do curso de Economia e integrante do Núcleo Interdisciplinar de Professores