Representada pela Galeria Raquel Arnaud, a artista plástica convive até hoje com antigos professores e colegas

Ela já expôs em diversas cidades do mundo, como Lisboa, Berlim, Washington e Bruxelas, participou de residências artísticas na Finlândia, na Turquia e no Canadá, ganhou prêmios importantes, como o Funarte de Arte Contemporânea, e criou, em 2011, o Hermes Artes Visuais, espaço onde acontecem encontros semanais, cursos e exposições e que tem entre seus orientadores o artista Nino Cais.

Representada pela Galeria Raquel Arnaud desde 2012, uma das mais conceituadas do país, Carla Chaim, 31 anos, é uma artista plástica cada vez mais reconhecida pelo seu trabalho, que dialoga com a arte construtiva brasileira por meio de diferentes mídias, como o desenho, o vídeo e a instalação. Tanto que sua obra foi tema de um episódio da série Um artista, sobre jovens artistas em ascensão, veiculada no canal Arte1, no ano passado. Para Carla, formada e pós-graduada na FAAP, a convivência com os alunos e professores, como Georgia Kyriakakis, foi fundamental na sua trajetória – e, com alguns colegas, perdura até hoje. “Eu e Georgia estamos na mesma galeria. Continuo aprendendo e convivendo com ela e com antigos colegas. Essa troca é importante”, diz.

Georgia Kyriakakis Professora de Linguagem Visual Tridimensional, deu aula para a artista e hoje as duas são colegas de galeria

“A Carla sempre foi uma aluna curiosa e aberta a novas experiências. Fico imensamente feliz quando um de meus ex-alunos se torna artista, um colega de trabalho. Ter esse contato com a Carla hoje, através da galeria, é instigante. Gosto muito do seu trabalho pela relação que mantém com o desenho e pela multiplicidade de meios e materiais com os quais trabalha.”

Mariana Serri Artista plástica, convive com Carla principalmente nas exposições

“Eu e a Carla passávamos muito tempo nos ateliês da FAAP. Os técnicos de lá são incríveis. Tanto o meu trabalho quanto o dela têm essa característica muito visível do ateliê, de estar sempre fazendo algo. Às vezes até sem entender o que está sendo feito… O sentido vem depois. Hoje em dia a gente se encontra bastante e troca ideias nas exposições e no Ateliê397, um espaço hoje muito importante para o meio de artes plásticas em São Paulo.”

Mariana Palma Representada pela Galeria casa TRIâNGULO, já trabalhou diversas vezes com a artista plástica

“A Carla é uma grande amiga, acima de tudo. Frequentamos um grupo de artistas chamado Ateliê Fidalga, que se reúne sob a supervisão do Albano Afonso e da Sandra Cinto, com quem tivemos aula na FAAP. Já expusemos juntas em diversos lugares, como na exposição Fidalga no Paço, no Paço das Artes, e Boîte Invaliden, em Berlim. A Carla consegue orquestrar elementos primordiais da estética – como o equilíbrio, a simetria, a paridade e a linha – com a ação.”

Flavia Mielnik Artista plástica, ela conviveu com Carla principalmente no Hermes

“Eu a conheci no último ano da graduação. Não éramos tão próximas, mas nossas trajetórias voltaram a se cruzar. Hoje, nos vemos quase toda semana, discutimos assuntos importantes para os nossos trabalhos. O Hermes se tornou um ponto de encontro, assim como o Ateliê Fidalga. Ir ao ateliê da Carla é como entrar em um mundo com muitas portas – há a sala do silêncio, a sala das conversas com uma grande mesa, o jardim. Para mim, esses espaços potencializam sua obra e revelam uma reflexão atualizada da produção artística de hoje.”