Quatro anos após a criação de uma horta em uma creche, o FAAP Social vê o sucesso do seu projeto: hoje as crianças plantam e colhem os seus próprios alimentos

Em 2014, para celebrar o Dia Nacional do Voluntariado, o FAAP Social decidiu criar um projeto especial e ampliar o seu leque de ações. “Pensamos em um programa que contasse com a participação efetiva dos alunos, na realização das atividades, e que também abordasse um tema relevante no âmbito da responsabilidade social”, explica Andrea Sendulsky, coordenadora do departamento. Foi assim que surgiu a ideia da criação de hortas em instituições beneficentes, com a ajuda dos estudantes da FAAP. O projeto piloto foi realizado na creche Batuíra, na zona norte de São Paulo, onde foram plantadas mais de cem mudas,e contou com a participação de cem assistidos no processo. Hoje, dois anos depois, cuidar da horta virou rotina para as crianças, que aprenderam a colher o próprio alimento. “O objetivo do projeto é justamente este: que a instituição obtenha alimentos orgânicos para consumir, além de conscientizar as crianças sobre a importância – e a facilidade de manter uma horta.”

AS ETAPAS DA AÇÃO

1. Os alunos voluntários visitam a creche para montar e organizar a horta junto com as crianças atendidas ali. Nesta ação, foram plantadas mudas de alface, couve, agrião, cenoura, abobrinha, berinjela, pimentão, tomate e muitos outros legumes e vegetais.

2.A instituição recebe apostilas com o passo a passo do processo e também doação de mais mudas, equipamentos e terra.

3.Após a montagem, a equipe do FAAP Social faz acompanhamento do desenvolvimento da horta, para ajudar na manutenção, e realiza visitas de reparação, para verificar se o cuidado está adequado.

“O envolvimento dos alunos da FAAP com o projeto é sensacional. Eles não têm a prática de plantar, montar uma horta, cuidar do solo, mas eles aprendem, se dedicam e ficam ansiosos para poder passar o conhecimento para a frente. E o resultado é muito gratificante, ainda mais sabendo que, dois anos depois, as crianças da creche mantiveram o cuidado com a horta.” Flavia Watanabe, coordenadora de eventos da FAAP

“A ação toda é muito legal, desde a preparação que a gente recebe na FAAP, sobre o trato com as plantas e com o solo, até colocar a mão na massa. É muito bacana ver as crianças mexendo na terra, muitas delas pela primeira vez. A gente sente que está fazendo a diferença na vida delas.” Henrique de Paula Guimarães, 21 anos, aluno do 8º semestre de Arquitetura