Há 44 anos na FAAP, o funcionário mais antigo da faculdade resolve qualquer problema

Da janela de seu escritório, Basílio José Rodrigues aponta, animado, para os prédios 3 e 5 do campus. “Antes de subirmos esses prédios, mais de mil caminhões saíram daqui levando montes e montes de terra”, lembra. Ele também se emociona ao ver as árvores que ajudou a plantar dando frutos e sabe de cabeça o número de tijolos de cada uma das imponentes colunas do prédio-sede: 8.240.

Tudo isso porque, em 1971, ele chegava à FAAP para tocar as obras das novas estruturas da faculdade. Hoje, 44 anos depois, seu Basílio ainda conhece tudo por ali. Ele é gerente da área de serviços gerais da instituição e resolve qualquer problema. “O aluno pode vir com o pedido mais maluco para um trabalho escolar que eu dou um jeito de atendê-lo”, afirma.

Seus anos de dedicação foram devidamente homenageados, no episódio que ele cita como o mais marcante de sua vida. Em 1993, foi condecorado por George W. Bush, em uma visita do ex-presidente americano à FAAP, por ser o funcionário com mais anos de casa. “Ele disse meu nome e me deu uma medalha. Foi difícil segurar o choro ao ver minha família emocionada, na plateia.”

Amante de artes plásticas, seu Basílio adora visitar o Museu de Arte Brasileira. Ele confessa que, mesmo aos 85 anos, tem vontade de um dia se matricular no curso. “Nunca é tarde, não é?”