Angel veio dos EUA. Matheus foi para a Coreia do Sul

ANGEL MILLS – Nova York

Idade: 24 anos
Cidade e país de origem: Nova York, EUA
Começou o intercâmbio em: julho de 2016
Data de retorno ao seu país: julho de 2017
Curso que fez na universidade de origem: Formada em Jornalismo, ela ganhou uma bolsa de estudos do governo americano
Curso que faz na FAAP: Português para Estrangeiros

1. O que fez você escolher este destino?
O governo federal americano oferece bolsas de estudos para jovens estudantes que querem aprender línguas cujo ensino não é comum nos Estados Unidos. Eu poderia viajar para qualquer lugar do mundo, mas como optei pela língua portuguesa, o Brasil foi uma escolha natural. Já tinha lido a respeito do país, tinha vontade de conhecer a América do Sul e morar em São Paulo, uma cidade com uma vida cultural tão intensa quanto Nova York.

2. Culturalmente, o que chamou mais sua atenção?
A diversidade, em todos os sentidos. A gastronomia é um exemplo. São Paulo tem restaurantes de muitas nacionalidades. São culturas que, de uma forma ou de outra, influenciam a identidade brasileira. Além disso, diferentemente dos EUA, onde a sociedade é muito polarizada, aqui as pessoas são menos segregadas. Fui a um ensaio de escola de samba e vi gente de todo tipo – velhos, jovens, transgêneros, orientais. Todo mundo tinha seu espaço.

3. O que vai levar da experiência do intercâmbio?
Esta é a primeira vez que moro fora dos EUA e tem sido incrível. O curso da FAAP é focado na cultura, enquanto nos EUA o estudo é focado apenas na linguagem. Aqui aprendo tudo na prática. Essa vivência com certeza vai me ajudar profissionalmente, já que tenho vontade de trabalhar no Foreign Service Office (equivalente ao Itamaraty do Brasil, Ministério das Relações Exteriores).

MATHEUS GIBERTONI TRIGO – São Paulo

Matheus durante festival de lanternas, em Kinju, na Coreia do Sul

Idade: 26 anos
Cidade e país de destino: Daegu, Coreia do Sul
Começou o intercâmbio em: agosto de 2016
Data de retorno ao seu país: fevereiro de 2017
Curso que faz na FAAP: Engenharia Civil
Curso que faz no intercâmbio: Engenharia Civil, na Keimyung University

1. O que fez você escolher este destino?
Sabia que até os coreanos me perguntam isso? [Risos.] Escolhi por dois motivos. O primeiro, porque já tinha feito cursos de idiomas em dois países, nos Estados Unidos e na Inglaterra. Desta vez, queria conhecer algum lugar totalmente novo. E depois, porque, pesquisando sobre a minha área de atuação, descobri que a Coreia do Sul é referência na engenharia civil e nos transportes. São eles que fazem os metrôs e trens de São Paulo, por exemplo. Isso foi determinante para a minha escolha.

2. Culturalmente, o que chamou mais sua atenção?
A receptividade deles. Fiz muitos amigos nativos, algo que não tinha acontecido nos outros intercâmbios. Fora isso, todo fim de semana tem festivais pela região. Eles são ótimos. Fui a um festival de lanterna e outro de dança coreana. Ah, e a comida! Não sabia que eles comiam tudo com muita pimenta. Essa é a pior parte pra mim…

3. O que vai levar da experiência do intercâmbio?
Os coreanos estudam muito. Em semana de prova, a biblioteca faz horário extra da meia-noite às 5 da manhã. E fica sempre lotada! Acho que vou levar um pouco desse ritmo para o Brasil. Além disso, tem um programa legal aqui, que leva alunos estrangeiros para palestrar em escolas de Ensino Médio. Falei durante mais de 1 hora sobre o Brasil e respondi a perguntas dos alunos. A experiência foi muito legal. Descobri que é uma coisa que gosto de fazer.

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO

A FAAP tem convênio com mais de 380 instituições de ensino pelo mundo. São 50 destinos, entre eles: Alemanha, França, EUA, China e Japão. A cada ano, a Fundação envia e recebe alunos interessados em ter experiência de aprendizado internacional.

SAIBA MAIS: faap.br/internacionalizacao