Rosalinda veio de Taiwan. Laís foi para a Austrália

ROSALINDA CHEN

Idade: 24 anos

Cidade e país de origem: Taipei, Taiwan

Começou o intercâmbio em: agosto de 2015

Data de retorno ao seu país: junho de 2016

Curso que faz na universidade de origem: Língua e Cultura Hispânica e Ciência da Economia, na International Business Administration Program, Taitra

Curso que faz no intercâmbio: Português para Estrangeiros

1. Por que você escolheu este destino?
Vim para o Brasil por conta de uma parceria da FAAP com o Taitra (Conselho de Desenvolvimento do Comércio Exterior de Taiwan), que é o local onde estudo e pretendo trabalhar no futuro. Eles precisam de profissionais que falem português para fazer negócios aqui e a FAAP é um lugar ótimo para aprender a língua. Como já domino o espanhol, espero poder atuar em toda a América Latina.

2. Do que mais gostou no intercâmbio?
Como minhas aulas de português são durante a tarde, pude dividir meu tempo em três partes. De manhã procuro conhecer São Paulo, experimentar tudo o que tem de bom. Vou muito à Liberdade, mas adoro mesmo visitar museus e parques. Vou todos os dias à avenida Paulista. Lá é o meu local favorito. Gosto de ver gente. Estudo à tarde e à noite saio com amigos que fiz na FAAP e encontro gente nova.

3. O que mudou em você com essa experiência?
Passei a ver o meu país de maneira diferente. No Brasil, as pessoas são mais informais, parecem próximas já no primeiro contato. Em Taiwan há mais submissão e distanciamento. Vou levar comigo algumas coisas da cultura brasileira. Principalmente algo que aprendi rápido aqui: “bom dia”, “com licença” e “por favor” abrem muitas portas. Todos tentam te ajudar quando você se expõe assim.

LAÍS BUENO

Idade: 19 anos

Cidade e país de destino: Brisbane, Austrália

Começou o intercâmbio em: julho de 2015

Data de retorno ao seu país: dezembro de 2015

Curso que faz na FAAP: Relações Internacionais

Curso que fez no intercâmbio: Business, na Queensland University of Technology

1. Por que você escolheu este destino?
Sempre tive vontade de fazer intercâmbio. Quem cursa R.I. tem de saber lidar com viagens e se virar com as diferentes culturas. Decidi pela Austrália por ter uma cultura muito diversificada e também por causa do clima, que é parecido com o do Brasil.

2. Do que mais gostou no intercâmbio?
As aulas eram de segunda a quinta- feira e eu ainda trabalhava algumas noites em um restaurante brasileiro, onde conheci muita gente bacana e matei a saudade da comidinha bem temperada. Nos fins de semana, passeava por Brisbane – adorei o jardim botânico, que fica ao lado da universidade, e o Lone Pine, um santuário de coalas e cangurus. Gold Coast e Byron Bay são cidades próximas e que valem a pena a visita.

3. O que mudou em você com essa experiência?
Aprender sobre a cultura australiana. É uma sociedade com muita diversidade, em que as pessoas não ficam julgando o outro. Os jovens, por exemplo, não são pressionados a entrar na universidade assim que se formam no Ensino Médio. Eles saem de casa logo cedo e são estimulados a trabalhar em empregos que, no Brasil, são considerados inferiores. Trouxe comigo muitas das coisas que aprendi, inclusive a ter mais independência.

PROGRAMA DE INTERCÂMBIO

A FAAP tem convênio com mais de 380 instituições de ensino pelo mundo. São 50 destinos, entre eles: Alemanha, França, EUA, China e Japão. A cada ano, a Fundação envia e recebe alunos interessados em ter experiência de aprendizado internacional.

SAIBA MAIS: faap.br/INTERNACIONALIZACAO